quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

CONCURSO AERONÁUTICA


A Aeronáutica do Brasil realizará este ano (2017) seleção de 358 profissionais para o curso de formação de sargentos. Podem concorrer candidatos com ensino médio completo, entre 17 e 25 anos, de ambos os sexos.

As inscrições foram abertas no dia 19 de janeiro e irão até o dia 17 de fevereiro de 2017 no site da Aeronáutica. A taxa de inscrição é de R$ 60,00.

As vagas estão distribuídas entre as seguintes áreas: Mecânica de aeronaves (50 vagas); material bélico (130); comunicações (14); foto inteligência (10); guarda e segurança (30); eletricidade e instrumentos (18); equipamento de voo (6); meteorologia (10); suprimento (14); informações aeronáuticas (10); cartografia (6); desenho (5); estrutura e pintura (8); eletromecânica (12); metalurgia (6); bombeiro (18); controle de tráfego aéreo (128).

Os candidatos serão submetidos às seguintes etapas: provas escritas, inspeção de saúde, exame de aptidão psicológica e teste de avaliação do condicionamento físico.
Provas escritas, envolvendo questões de Português, Inglês, Matemática e Física, serão aplicadas no dia 14 de maio, nas cidade de Belém (PA), Belo Horizonte (MG), Brasília (DF), Campo Grande (MS), Canoas (RS), Curitiba (PR), Fortaleza (CE), Manaus (AM), Porto Velho (RO), Recife (PE), Rio de Janeiro (RJ), Salvador (BA), São Paulo (SP), São José dos Campos (SP) e Santa Maria (RS).
A partir do dia 8 de abril, a comissão organizadora do concurso divulgará horários e locais da prova escrita.

Os aprovados no concurso participarão do curso de formação de sargentos da Aeronáutica (CFS), com duração de dois anos e ofertado é ministrado sob regime de internato militar na cidade de Guaratinguetá (SP). Durante a referida formação, os estudantes terão a titulação de praças especiais e terão remuneração mensal de R$ 956,00. Uma vez formados, os estudantes se tronarão sargentos e passarão a receber o salário de R$ 3.325,00.


Clique aqui e faça a sua inscrição online.

sábado, 11 de fevereiro de 2017

1300 VAGAS NA MARINHA DO BRASIL

No dia 02 de março de 2017 serão abertas as inscrições para o Concurso Público da Marinha do Brasil, visando a oferta de 1300 vagas no Curso de Formação de Soldados Fuzileiros Navais.

As inscrições irão até o dia 30 de março de 2017 e poderão ser realizadas no endereço www.marinha.mil.br. A  taxa de inscrição é de R$ 20,00.

A prova escrita (para exame de escolaridade: língua portuguesa e matemática) será aplicada no dia 30 de maio de 2017, mas o concurso compreenderá outras etapas (exame Psicológico, inspeção de Saúde, verificação de Documentos e teste de Suficiência Física), seguindo o seguinte calendário:

De acordo com o edital, “as vagas, nos Órgãos de Formação, serão distribuídas da seguinte maneira: Centro de Instrução Almirante Milcíades Portela Alves – CIAMPA: 1060 vagas destinadas, preferencialmente, aos candidatos das regiões SUL e SUDESTE do Brasil, obedecendo a ordem de classificação; e Centro de Instrução e Adestramento de Brasília - CIAB: 240 vagas destinadas, preferencialmente, aos candidatos das regiões CENTRO-OESTE, NORTE e NORDESTE do Brasil, obedecendo a ordem de classificação no concurso”.

Durante o curso, além de serem proporcionados alimentação, uniforme e assistência médico odontológica, o candidato receberá remuneração atinente à sua graduação, como previsto na Lei de Remuneração dos Militares, como ajuda de custo para suas despesas pessoais.

Acesse o edital do Concurso da Marinha clicando aqui.
Vídeo institucional da Marinha. Clique aqui para assistir.

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

CONCURSO DA AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR


Está prevista para esse ano (2017) a realização do concurso da Agência Nacional de Saúde Suplementar oportunidades para cargos de nível superior: analista administrativo e especialista em regulação. O processo seletivo aguarda autorização por parte do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão.
Conforme Orçamento sancionado pelo presidente da República, há previsão de oferta de 231 vagas distribuídas entre os cargos mencionados

Organizado pelo Cespe/UnB, o último concurso da ANS aconteceu no ano de 2013 com aplicação de prova objetiva, questões discursivas e análise de títulos.

Remunerações iniciais
Analista administrativo: R$ 11.529,29
Especialista em regulamentação: R$ 12.432,49.

Formação mínima exigida
Nível superior, para ambos os cargos, em qualquer área de atuação, comprovado por diploma emitido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC).

Estimativa de taxa de inscrição
R$ 100,00

Oportunidades de lotação dos aprovados
Sede da ANS: Rio de Janeiro e Núcleos: Belém (PA), Belo Horizonte (MG), Brasília (DF), Curitiba (PR), Cuiabá (MT), Fortaleza (CE), Porto Alegre (RS), Recife (PE), Ribeirão Preto (SP), Rio de Janeiro (RJ), Salvador (BA) e São Paulo (SP).


Prepare-se para esse concurso estudando conosco no atelieconcurseiro.blogspot.com.

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

CONCORDÂNCIA VERBAL


Concordância verbal compreende a identidade de número e pessoa entre sujeito e verbo.


Concordância com sujeito simples
O verbo concordará com o sujeito em número e pessoa, independente da posição do sujeito na oração (antes ou depois do verbo).
Exemplo
  • Nós comemos macarronada na pizzaria.



Casos especiais
1. Quando o sujeito é um coletivo (família, turma, exército, povo, multidão...), o verbo fica no singular.
Exemplos
  • O povo prestigiou do desfile de sete de setembro.
  • A multidão bloqueou a avenida.
  • A família esteve na apresentação teatral.
  • O exército brasileiro recruta jovens com dezoito anos de idade.

2. Com a presença de coletivos partitivos (metade, a maior parte, maioria...) o verbo fica no singular.
Exemplo:
  • A maioria dos estudantes foi aprovada. (O verbo foi concorda com a palavra maioria).
  • Metade da assembleia concordou com o palestrante.
3. Quando o sujeito é um pronome de tratamento, o verbo fica sempre na terceira pessoa do singular ou do plural.
Exemplo
  • Vossa Excelência aprovou a solicitação do Congresso.
  • Vossas Altezas têm o meu apreço.
4.  Quando o sujeito for o pronome relativo “que”, o verbo concorda com o antecedente do pronome.
Exemplo
  • Fui eu que espalhei o boato
  • Fomos nós que espalhamos o boato.
(eu espalhei / nós espalhamos)

5. Quando o sujeito for o pronome relativo quem, o verbo pode ficar na terceira pessoa do singular ou concordar com o antecedente do pronome.
Exemplo
  • Fui eu quem espalhou o boato.
  • Fui eu quem espalhei o boato.
6. Quando o sujeito for composto pelas expressões “alguns de nós”, “poucos de vós”, “quais de ...”,quantos de...”,  o verbo poderá concordar com o pronome interrogativo ou indefinido ou com o pronome pessoal (nós ou vós).
Exemplos
  • Quais de vós me apoiarão? (Sentido de quais apoiarão?)
  • Quais de vós me apoiareis? (Sentido de vós apoiareis?)

7. Com os pronomes interrogativos ou indefinidos no singular o verbo concorda com eles em pessoa e número.

Exemplo
  • Qual de nós servirá a refeição?
(Qual servirá a refeição? Apenas um. Daí o verbo ficar no singular, concordando com o pronome.)

8.  Caso o sujeito seja formado de nomes que só aparecem no plural (Estados Unidos, Ilhas Malvinas, Lusíadas...), se o sujeito não vier precedido de artigo, o verbo permanecerá no singular. Caso venha antecipado de artigo, o verbo concordará com ele.
Exemplos
  • Ilha Malvinas já foi causa de guerra.
  • As Ilhas Malvinas já foram causa de guerra.
9.  Quando o sujeito for composto pelas expressões “mais de um”, “menos de dois”, “cerca de...”, o verbo concorda com o numeral.
Exemplos
Mais de um deputado faltou ao debate.
Mais de sete meninas não participaram do desfile.

10. Quando o sujeito for composto pelas expressões “a maioria”, “a maior parte”, “grande parte...”, o verbo poderá ser usado no singular ou no plural.
Exemplo
  • A maior parte dos estagiários compareceu.
  • A maior parte dos estagiários compareceram.

Concordância com sujeito composto
Quando o sujeito composto estiver posicionado antes do verbo, este ficará no plural.
Exemplo
  • Maracatus e cordões dançaram na avenida.
Casos especiais
O verbo pode ficar no plural ou no singular em dois casos:
1. Quando os núcleos são sinônimos;
Exemplo
  • Alegria e contentamento contagiaram-nos.
  • Alegria e contentamento contagiou-nos.
2. Quando os núcleos formarem uma enumeração gradativa (ideia de sequência de ideias)
Exemplos
  • A angústia, a inquietação, o desespero o dominaram.
  • Um olhar, um sorriso, um gesto amigo conforta um amigo entristecido.
  • A angústia, a inquietação, o desespero o dominou.
  • Um olhar, um sorriso, um gesto amigo confortam um amigo entristecido.
B. Quando o sujeito composto estiver posicionado após o verbo, este poderá concordar com o mais próximo ou ficar no plural.
Exemplo
  • Estudou para o concurso o Pedro, a Maria e a Lúcia.
  • Estudaram para o concurso o Pedro, a Maria e a Lúcia.
Casos especiais
Quando o verbo for constituído por pessoas gramaticais diferentes, ele ficará no plural.

1ª e 2ª pessoa; o verbo fica na 1ª p. do plural.
2ª e 3ª pessoa; o verbo fica na 2ª p. do plural.
1ª e 3ª pessoa; o verbo fica na 1ª p. do plural.

Exemplos
  • Eu, tu e seu amigo vamos ao cinema.
  • Teus irmãos, tu e eu tomaremos a decisão.
  • Eu e ele fomos ao cinema.
  • Tu e ele comprastes o ingresso?
  • Tu e seu amigo vais ao cinema. (Nesse caso, se temos segunda pessoa com terceira pessoa, o verbo deve concordar com a segunda pessoa).
Quando os núcleos do sujeito vierem ligados pela conjunção “ou” o verbo ficará no singular se houver a ideia de exclusão.
Exemplo
  • Itália ou Alemanha será campeã na copa da Europa dessa ano.
Quando os núcleos do sujeito vierem ligados pela conjunção “ou” o verbo irá para o plural se houver a ideia de inclusão.
Exemplo
  • Professor ou alunos aprendem sempre.
Quando utilizamos pronome de tratamento, o verbo irá sempre para a terceira pessoa do singular ou do plural.
Exemplo
  • Vossa Excelência leu meus documentos? (Aqui, Vossa Excelência equivale ao pronome Ele).

Verbos impessoais haver, fazer e ser

Verbo haver
Verbo haver no sentido de “existir” é impessoal, fica na terceira pessoa do singular e não tem sujeito. Jamais ficará no plural.
Exemplo
  • Havia várias amostras de fósseis na exposição?
Verbo fazer
O verbo fazer é impessoal quando tiver sentido de tempo transcorrido. Também fica na terceira pessoa do singular e não tem sujeito.
Exemplo
  • Faz dias que espero o resultado de exame. (Faz tem sentido de tempo transcorrido. Não posso dizer “Fazem dias”)
Verbo ser
Quando indicar horas, distâncias e datas, o verbo “ser” concordará com o predicativo (com o numeral a que se refere). Nesse caso ele é impessoal.
Exemplos
  • É uma hora.
  • São três horas.
  • Daqui até a fazenda é um quilômetro.
  • Daqui até a fazenda são sete quilômetros.
Caso especial
  • Hoje é dia doze de outubro.
Se tirar a palavra dia:
  • Hoje são doze de outubro.

Verbo + pronome se
Verbos transitivos diretos ou transitivos diretos e indiretos, quando apassivados pelo pronome “se”, concordam com o sujeito.
Exemplo
  • Vendem-se casas
  • Aluga-se casa na praia.
Quando houver verbo + pronome “se” + preposição, o verbo fica no singular.
Exemplo
  • Necessita-se de novas orientações.

Participe do nosso grupo de estudo no Google + Clicando aqui.

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

CONCURSO DETRAN CEARÁ 2017


Está confirmada para esse ano de 2017 a realização do Concurso do Departamento Estadual de Trânsito do Ceará (Detran-CE) para os níveis médio e superior e

O último processo seletivo aconteceu no ano de 2006, com a disponibilidade de 130 (cento e trinta) vagas para agente de trânsito e 70 (setenta) vagas para fiscal de transportes e carga horária de quarenta horas semanais. Para ocupar os referidos cargos, os candidatos deveriam no mínimo ter ensino médio concluído e Carteira Nacional de Habilitação, no mínimo categoria B.

O concurso aconteceu em duas etapas. Na primeira, os candidatos participaram de prova objetiva contendo 50 questões distribuídas em Língua Portuguesa, Raciocínio Lógico, Atualidades e Legislação (Código Brasileiro de Trânsito, resoluções do CONTRAN até número 192 e Regulamentação de Transportes Públicos de Passageiros); Na segunda, os 250 melhores classificados na primeira etapa participaram de curso de formação.

Logo, logo sairá edital com informações de cargos, vagas e outras informações relevantes.


Que tal largar na frente e começar a estudar?
Participe do nosso grupo de estudo no Google + clicando aqui.

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

I Ateliê Encontros de Língua Portuguesa




Ateliê Encontros de Língua Portuguesa é uma iniciativa do Ateliê de Educadores e visa promover momentos de estudo sobre conteúdos de Língua Portuguesa, com foco na preparação para Concursos.

Na manhã do dia 19 de fevereiro de 2017, das 9h às 12h, realizaremos o I Ateliê Encontros de Língua Portuguesa que trará "Concordância nominal e verbal"como tema de estudo.

Quer participar?
Confirme o seu interesse e no dia doe dois quilos de alimento não-perecível.

Local: Espaço Colabora - Rua Carlos Gomes, 471 - Bairro José Bonifácio (Próximo da Procuradoria da Justiça)

Mais informações e inscrições CLIQUE AQUI.

Como chegar


domingo, 5 de fevereiro de 2017

CONCORDÂNCIA NOMINAL

Concordância nominal é a concordância do adjetivo, do pronome ou do numeral em gênero (masculino e feminino) e número (singular ou plural) com o substantivo ao qual se referem. Essa é a regra geral da concordância nominal.

REGRAS ESPECIAIS
1. Adjetivo referente a vários substantivos
A. Quando o adjetivo vier depois de dois ou mais substantivos do mesmo gênero, há duas alternativas de concordância: concorda com o mais próximo, no singular, ou concorda com os dois substantivos, no plural.
Exemplos:
Letícia elogiou o cantor e o poeta criativo.
Letícia elogiou o cantor e o poeta criativos.

B. Quando o adjetivo for proposto a dois ou mais substantivos de gêneros diferentes, há duas possibilidades de concordância: Diante de um substantivo masculino e um feminino a concordância é sempre no masculino plural (para se referir aos dois); a concordância também pode se dá apenas com o substantivo mais próximo, no singular.
Exemplos:
João manifestou alegria e interesse verdadeiros.
João manifestou alegria e interesse verdadeiro.
João manifestou interesse e alegria verdadeira.

Adjunto adnominal é o elemento que determina, especifica ou explica um substantivo. Numa frase, tem função adjetiva na oração, podendo ser realizada por adjetivos, locuções adjetivas, artigos, pronomes adjetivos ou numerais adjetivos.

C. Quando o adjetivo (funcionando como adjunto adnominal) vier antes de dois ou mais substantivos e houver um verbo de ação, deve concordar com o mais próximo. Funcionando como predicativo, poderá ir para o plural ou concordar com o mais próximo.
Exemplo:
Jamais notei tamanha dedicação e respeito

Havendo um verbo de ligação, mesmo o adjetivo vindo antes dos substantivos, o adjetivo pode concordar com o substantivo mais próximo ou com os dois substantivos, nesse último caso flexionando o verbo.
Exemplos:
Estava satisfeita a mãe e a filha.
Pareciam indignados o garoto e a mãe com o atendimento do médico.

Quando um adjetivo anteceder nomes próprios, o plural é obrigatório.
Exemplo:
Os inventivos José e Lucas foram idealizadores desse projeto.

2. Dois adjetivos referentes a um substantivo
Vejamos a frase:
Meu professor conhece o método tradicional e o moderno.

Nesse caso, o substantivo (método) fica no singular e se coloca o artigo antes do segundo adjetivo (moderno).

Já na seguinte frase:
Meu professor conhece os métodos tradicional e moderno.

O substantivo passa para o plural (métodos) e o artigo antes do segundo adjetivo passa a ser desnecessário.

3. Casos particulares de Concordância nominal
A) Palavras menos e alerta são advérbios invariáveis.
Não existe menos no feminino (Menas). A palavra menos é um advérbio masculino plural.
Exemplo:
Acumulamos menos dívidas

Não existe plural de alerta.
Exemplo:
Os médicos ficaram alerta.

B) Com as expressões “é proibido”, “é necessário” e “é bom”, o verbo de ligação ser permite concordância.
Se colocar o artigo antes da palavra proibido, o mesmo deve concordar em gênero com o substantivo.
Exemplo:
É proibida a manifestação violenta.

Se não houver o artigo ou pronome, a palavra é utilizada no masculino.
Exemplo:
É proibido manifestação violenta.

Onde está o acerto? Onde está o erro?

C) O mesmo se aplica às palavras necessário e bom. Se tem artigo ou pronome, ambas serão escritas no feminino.
Exemplos:
Sem o artigo: Alegria é necessário.
Com o artigo: A alegria é necessária.
Sem o artigo: Amizade é bom.
Com o artigo: A amizade é boa.




D) Quando as palavras bastante, meio, caro, barato e muito tiverem valor de advérbio ficarão invariáveis. Se forem adjetivo, podem concordar com o substantivo a que se referem.
Exemplos:

Sabrina deixou meia folha com anotações. (Meia tem função de adjetivo)
Relógios estão caros. (Estar é verbo de ligação)
As roupas estão baratas
O relógio marca meio dia e meia.

Substituindo bastante por muito, se muito variar quanto a número e gênero, acontecerá o mesmo com o termo bastante.
Exemplos
Luana e Pedro beijaram bastantes vezes na balada
Alugamos bastantes bicicletas na cidade.

E) Quando meio equivaler a pouco, fica sempre no masculino singular. É invariável. Nesse caso meio funciona como advérbio.
Exemplo
Antônia está meio preocupada.

Tendo verbos de ação (a exemplo de custar) se aplica o masculino singular.
Exemplos
Os automóveis custam caro.
As laranjas custam barato.

F) As palavras anexo, obrigado, incluso, mesmo, próprio, , leso e quite concordam com o substantivo a que se referem.
Exemplos
Anexas ao processo vão as provas.
O arquivo segue anexo.
Os documentos estão inclusos.
Elas estão sós.
Estamos quites com Bianca.
Muito obrigada dizem as meninas.

G) O advérbio (equivalente a somente) e as expressões em anexo e a sós são invariáveis.
Exemplos
Elas só esperam uma nova oportunidade.
Acesso o e-mail e aprecie as imagens em anexo.

Teste seus conhecimentos clicando aqui.